DEUS É DONO DO OURO E DA PRATA!!! COM CERTEZA!!!

31-12-2010 14:21

 

SABEDORIA ou  RIQUEZA?!?

Sabedoria e Riqueza; qual das duas é mais importante?

Qual é a nossa maior necessidade? O que pedimos a Deus com mais freqüência?

Parece que esta havendo um erro de orientação muito grave, que tem causado não pequenos danos à Igreja e, ao mesmo tempo uma afluência enorme de novos crentes. Esse erro de orientação agrada a massa e atrai discípulos. Ele se propaga rapidamente pelos púlpitos , pela televisão e pelos livros.

                Nunca se orou tanto como hoje em dia. No mundo inteiro. Em todas as religiões.  Tanto nas Igrejas históricas como nas Igrejas pentecostais e carismáticas , talvez mais nestas que naquelas além do seu aspecto devocional de comunhão com Deus a oração tem sido anunciada e usada como instrumento válido e certo de adquirir, preservar e aumentar tesouros na terra, cresce cada vez mais o casamento da religião com a prosperidade, não me entendam errado pois também creio no Deus que é dono do ouro e da prata, que Ele por sua vez pode fazer prosperar a quem Ele quiser, portanto falo em escala de prioridades – “Buscai em primeiro lugar o reino de Deus e sua justiça e as demais coisas vos serão acrescentadas” (Mt6:33) . Vivemos em uma época que o ter  continua atraindo mais que o ser. Onde o  fim principal do homem não é glorificar a Deus , o fim principal do homem é a segurança financeira (e convenhamos : insegurança total) são os bens de consumo, é o conforto proporcionado pela máquina , é a beleza da roupa, a beleza do corpo, a beleza das jóias , a beleza da casa, do carro, e assim por diante a beleza do que os olhos podem ver e o conforto que o corpo pode sentir.    Boa parte do movimento neopentecostal, tanto protestante ou não, está comprometido com a chamada teologia da prosperidade, o oposto da Teologia da Libertação, o casamento da religião com a prosperidade em nossos dias é sólido, mais do que muitos matrimônios entre homem e mulher, não há sinais de ruptura à vista. A Fé é considerada um trampolim para a obtenção e manutenção da qualidade de vida terrena, e apenas terrena,

Fazendo uma análise histórica ; o jesus atual parece proteger a riqueza dos ricos e o Jesus dos velhos tempos mandava ajuntar tesouros no céu , “onde os ladrões não arrombam e nem furtam” (Mt 6:19) . O jesus de hoje parece encorajar a riqueza e o Jesus de ontem explica que “mais bem-aventurado  é dar do que receber” (At 20:35)  O jesus desde século parece não esvaziar os bens de ninguém e o Jesus do evangelho encoraja o esvaziamento das riquezas Em beneficio da própria pessoa, em beneficio alheio e em beneficio do reino de Deus (Lc 18:18-30 , 19:1-10) No casamento da religião com o cifrão há coisas muito esquisitas. Hoje , o perigo é Jesus nos causar um desapontamento como se pode ver nas palavras da esposa de um certo ex-ministro : “Não peço as coisas a Jesus para amanhã, é pra hoje. Oro e peço pra que Ele não me desaponte”.

Nessa ânsia pelas riquezas os novos crentes não conseguem enxergar o valor das riquezas acumuladas no céu. São como aquele homem muito rico que procurou Jesus e depois desistiu dele (Lc 18:18-23).

Claro que como qualquer pessoa busco melhorar de vida a cada dia não posso ser hipócrita em falar ao contrário pois não seria a verdade, mas se fomos criados pelo Senhor Jesus pra louvor de Sua Glória então precisamos priorizar o Reino do Senhor Jesus, porque não orar então também por outros valores, por outras graças, por outras bênçãos, certamente muito mais necessárias e valiosas do que as riquezas? Em nossas orações não temos o costume de suplicar a Deus coisas como amor, compaixão, desprendimento, humildade, coragem, entusiasmo, alegria, pureza sexual, direção, poder para testemunhar e assim por diante. Será que esses dons valem menos que as riquezas? Qual desses dois grupos de oração contribui mais para a implantação do reino de Deus na terra?

A Oração é o instrumento adequado para se adquirir sabedoria, uma das nossas maiores carências. É o apostolo Tiago que nos explica: “Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade e lhe será concedida” ( Tg 1:5) . foi exatamente isso que Salomão rogou a Deus , quando era jovem e tinha acabado de subir ao trono de Israel, em lugar de seu pai Davi (1º Rs 3:3-15). Ele fez o melhor uso possível da oração e Deus se agradou muito da sua suplica. Salomão era um homem encantado pela sabedoria e a ela se refere quase uma centena de vezes nos livros de provérbios e Eclesiastes.

Outro escritor bíblico apaixonado por esse tipo de sabedoria que vem de Deus é Jó, e é exatamente Jó que faz comparação entre a sabedoria e a riqueza, para ele a sabedoria é muito mais cara do que o ouro fino, o ouro de Ôfir,  muito mais precioso do que o ônix, a safira, o coral, o cristal, as pérolas e o topázio da Etiópia (Jó 28:12-28).  

A sabedoria a que se refere a Bíblia não é a sabedoria dos sábios deste mundo. É uma sabedoria sóbria, centralizada em Deus, que ensina a viver e a morrer, que tem forte conotação ética, que sabe distinguir tão acerto a luz das trevas, que promove um bom relacionamento do ser humano com Deus. O ponto de partida dessa sabedoria dinâmica é o temor do Senhor, como testemunha o próprio Salomão: “para ser sábio é preciso primeiro temer ao Deus Santo, então tem compreensão das coisas” (Pv9:10)  

E para concluir pergunto-nos : “Estamos apaixonados pelo Jesus da Bíblia, ou pelo jesus deste século? Nos apaixonamos pela Sabedoria ou pelas Riquezas?  Utilizamos a oração para o que? Medite sobre isso!!!

 

                                                                                                                                                Pr. Eljoenai W.